ÁSCOA: E-book gratuito dá uma força para quem quer ter renda extra

Publicação produzida pela Marajoara Laticínio e com a curadoria da chef Adriana Gomes traz receitas que podem virar fonte de bons ganhos

Uma das sugestões do E-book é o Ovo de colher chocolatudo Arquivo pessoal

Além de uma das épocas mais doces do ano, a Páscoa é também um período para boas chances de se ter uma renda extra com a venda de várias guloseimas à base de chocolate. Com o objetivo de capacitar pequenos confeiteiros e confeiteiras a Marajoara Laticínios acaba de lançar um E-book  com receitas de ovos de chocolate e outros doces que podem virar fonte de bons ganhos.

Chef Adriana Gomes

A publicação digital “Páscoa Marajoara – Faça e Venda” tem curadoria da chef e professora de confeitaria Adriana Gomes. “A Páscoa é a melhor oportunidade para confeiteiros e aspirantes a confeiteiros terem uma excelente renda e trabalhando em casa”, afirma a chef.

Além de receitas como Ovo de Páscoa recheado com brigadeiro de colher e trufa de cereja, o Ebook, que já pode ser baixado gratuitamente no site da empresa (www.marajoaraalimentos.com.br), traz dicas de como fazer produtos que têm um custo mais baixo, mas sem perder a qualidade. “Uma sugestão é usar sempre o recurso de comprar as cascas dos ovos de chocolate prontas, assim evita desperdício de produtos e ganha velocidade na produção. Os ovos de páscoa já prontos podem ser comprados em lojas especializadas, com valor mais em conta. Outra dica é sempre inovar o cardápio de opções incluindo sugestões sem chocolate e recheios com frutas , não esquecendo do que já é trivial nesta época como os ovos de colher com recheios cremosos , mousses, recheio de Nhá Benta e outros doces”, sugere a chef.

Outra dica dada pela confeiteira profissional é fazer um bom trabalho de marketing nas redes sociais. “Nesse ramo o visual é muito importante. Além de gostoso, precisa estar bonito, afinal, também comemos com os olhos. Por isso, se puder, invista na produção de boas fotos de seus produtos e divulgue em redes como o Instagram”, explica.

Redação NORDESTINOS PAULISTANOS 

Por Anderson Costa -COMUNICAÇÃO SEM FRONTEIRAS