Nada Gogo: os segredos da região que é a maior produtora de saquê do Japão

Organização Nacional do Turismo Japonês (JNTO) apresenta os destaques da área que é responsável por mais de um quarto da produção da bebida em todo o país

São Paulo, 23 de fevereiro de 2021 – Na costa da província de Hyogo, entre as cidades de Kobe e Nishinomiya, no Japão, está Nada Gogo, ou os “Cinco vilarejos de Nada”, a maior região produtora de saquê do arquipélago. No local, estão instalados dezenas de fabricantes, que aproveitam o clima ideal, a qualidade da água e o arroz cultivado na região na preparação da bebida típica do país.

Nada Gogo produz uma grande variedade de saquês que podem ser degustados quentes ou frios Shutterstock

O saquê feito com arroz fermentado, ou nihonshu, é tradicional no Japão e muito popular no mundo todo. A região de Nada Gogo é o berço da produção do país. Historicamente, a fabricação da bebida começou, no local, há sete séculos. A área, com 12 quilômetros de extensão, reúne os vilarejos Nishi, Mikage, Uozaki, Nishinomiya e Imazu e é responsável por mais de um quarto da produção de saquê do país.

A rua das fábricas de saquê na região de Nada Gogo concentra diversos fabricantes de saquês que permitem a degustação dos produtos Shutterstock

A Organização Nacional do Turismo Japonês (JNTO) apresenta os destaques que fazem dos “Cinco vilarejos de Nada” e sua fabricação de saquê famosos mundialmente.

A combinação perfeita de ingredientes e temperatura

A qualidade do saquê fabricado em Nada Gogo é fruto da tradição na fabricação e da harmonização perfeita da água e do arroz da região com o clima local. A área está localizada no litoral e o contraste dos ares costeiros com os ventos frios que sopram da cordilheira vizinha, em que está localizado o Monte Rokko, favorecem o processo de fermentação.

Nada Gogo possui museus do saquê, onde é possível conhecer todos os passos para a produção da bebida Shutterstock

As montanhas também são responsáveis pela qualidade da água. Chamada de miyamizu, ela desce até a cidade e é rica em minerais como potássio e ácido fosfórico e possui baixo teor de ferro, o que contribui para dar o sabor refrescante do saquê de Nada. Já o arroz, é do tipo Yamada Nishika, a variedade ideal para a produção da bebida. A província de Hyogo é famosa pela qualidade da cultura do cereal.

Barris de saquê produzidos na região são de cedro Shutterstock

Na região, também trabalham os principais mestres de saquê do Japão. Chamados de toji, os especialistas que fabricam a bebida em Nada fazem parte do grupo “Tanba toji”, que é um dos maiores e mais renomados no Japão. São eles que mantêm a tradição do método de fabricação que garante a qualidade dos saquês de Nada Gogo.

A rua das fábricas de saquê na região de Nada Gogo concentra diversos fabricantes de saquês que permitem a degustação dos produtos Shutterstock

História e degustação

Estima-se que a produção de saquê, no Japão, começou por volta do ano 1.350 na região dos “Cinco vilarejos de Nada”. Desde então, o processo de fabricação passou por transformações e uma grande variedade de sabores da bebida foi desenvolvida. Uma visita às fábricas locais permite degustar os diferentes tipos, desde os mais suaves e doces, até os encorpados e secos, servidos quentes ou frios.

Além de experimentar a bebida, é possível também se aprofundar na cultura japonesa e conhecer todo seu processo de fabricação. Iniciando no tratamento dos grãos de arroz, passando pela fermentação até o produto final. A rua das fábricas de saquê (Sake Brewery Street), tem museus que oferecem passeios guiados e uma imersão completa no mundo do saquê.

Uma boa dica é uma visita a Kiku Masamune Tarusake Meister Factory. No local, é possível assistir, além do processo de fabricação da bebida, à construção dos barris de saquê de cedro yoshino, responsáveis pelo sabor marcante do saquê desta produtora, que é uma das mais antigas e mais conhecidas da região. Além disso, é possível conversar com os artesãos que dominam a habilidade há décadas.

Para paladares exigentes, a região possui uma boa oferta de restaurantes, que servem o melhor da gastronomia local: pratos com o  famoso bife kobe de wagyu e frutos do mar frescos, que são harmonizados com a variedade de saquês. O acesso à região é fácil e feito de trem a partir da região central de Kobe. Nada Gogo está a seis minutos a pé da Estação Mikage na linha Hanshin.

Mais informações sobre Nada Gogo: https://www.japan.travel/pt/spot/21/

Mais informações sobre o saquês produzidos na região: http://plus.feel-kobe.jp/en/

 

Informações sobre viagens ao Japão

Devido à pandemia, as restrições de viagem estão mudando continuamente e se adaptarão conforme a situação evolui globalmente. A JNTO recomenda visitar seu site para obter as últimas notícias sobre o Japão e as restrições de viagens relacionadas à Covid-19. Acesse: https://www.japan.travel/en/coronavirus/

 

Sobre a Organização Nacional do Turismo Japonês (JNTO)

A JNTO é um órgão governamental japonês que possui escritórios em 22 cidades ao redor do mundo. A organização está envolvida em uma ampla variedade de atividades para incentivar turistas internacionais de todo o mundo a visitar o Japão. A organização presta consultoria em vendas de pacotes turísticos, sugestões e assistência na montagem de roteiros para o Japão e incentivo às associações acadêmicas e industriais a realizarem congressos, assim como promovê-los junto às pessoas interessadas. Além disso, publica regularmente estatísticas do turismo e relatórios de mercado.