Milho safrinha pode perder o zoneamento climático

Produtores podem optar por cultivar o cereal consorciado com braquiária para ter uma janela de cultivo que permita a contratação de seguro agrícola ou investir em culturas alternativas como o sorgo 

Plantação de milho (imagem gratuita do banco Unsplash)
Foto: Jesse Gardner/Unsplash.

O atraso do plantio da safra de soja 2020/21 e alongamento do ciclo das lavouras marcou várias regiões produtoras em estados como Paraná, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Segundo levantamento da consultoria AgRural, 35% da área de soja estava colhida até 4 de março, percentual muito abaixo do registrado no ano passado, de 49%.

O cenário impacta diretamente no cultivo de milho safrinha, cuja semeadura atingiu 54% da área prevista, contra 80% um ano atrás. “A preocupação agora passa a ser o atraso para o plantio de milho safrinha. Há uma grande preocupação com a perda da janela de zoneamento e possibilidade de lavouras serem prejudicadas por granizo ou geada no meio do ano, por exemplo”, analisa Fabio Damasceno, Diretor de Agronegócio da Fairfax Brasil.

Incertezas para o milho safrinha

Devido ao cenário atual, os produtores que conseguirem realizar o plantio do milho safrinha respeitando o zoneamento climático de sua região devem ficar ainda mais atentos. O atraso do plantio tende a deixar o cultivo mais arriscado. Torna-se ainda mais importante proteger o patrimônio do agricultor, mitigando os riscos climáticos do milho safrinha por meio da contratação de um seguro agrícola. “Estamos negociando o seguro agrícola para o milho safrinha desde dezembro do ano passado. O nosso posicionamento no mercado é de trazer produtos mais próximos da realidade do produtor rural e que façam sentido para ele proteger a produção”, diz Damasceno.

Plantação de milho (imagem gratuita do banco Unsplash)
Foto: Jesse Gardner/Unsplash.

Os agricultores que perderem o período ideal de plantio do milho safrinha ficam inelegíveis à contratação de seguro rural, cujas regras exigem o respeito ao zoneamento climático. Nesse caso, é recomendável buscar alternativas para a segunda safra. O produtor que decidir investir em consórcio de milho-braquiária, por exemplo, contará com um zoneamento climático diferente e poderá assegurar a lavoura. Há também a recomendação de rotação com culturas de inverno.

A Fairfax Brasil oferece apólices direcionadas para assegurar o milho safrinha consorciado com a braquiária, seguro para trigo e sorgo. Os agricultores podem contratar o seguro agrícola multirrisco grãos da Fairfax Brasil, com cobertura contra chuva excessiva, geada, granizo, seca, ventos frios, raio, incêndio, tromba d’água e ventos fortes.

SOBRE A FAIRFAX

A Fairfax Brasil é uma seguradora brasileira atuante nos segmentos comercial e industrial, com operações no Brasil desde 2010. É uma empresa centrada em inovação, que cria soluções feitas sob medida com recurso global e decisão com autonomia local. Pertence ao grupo canadense Fairfax Holding, que está presente em mais de 100 países nos ramos de seguro e resseguro.

Redação Nordestinos Paulistanos

Por Darlene Santiago -Contextualiza Comunicação