Eduardo Kobra destaca a importância dos livros em mural na cidade de Sorocaba

O conhecido artista urbano Kobra finaliza hoje, sexta-feira, 22 de janeiro, um mural de 22 metros de altura por 11 de largura, em uma escola na cidade de Sorocaba, interior de São Paulo. O mural mostra um menino subindo uma estante em uma biblioteca à procura de um livro.

Mais uma foto com o muralista Eduardo Kobra no novo mural, em Sorocaba
@drone.cyrillo

O conhecido artista urbano Kobra finaliza hoje, sexta-feira, 22 de janeiro, um mural de 22 metros de altura por 11 de largura, em uma escola na cidade de Sorocaba, interior de São Paulo. O mural mostra um menino subindo uma estante em uma biblioteca à procura de um livro. O artista, que não tem formação acadêmica, é autodidata. “Pesquiso muitos as biografias dos ‘personagens’ que destaco em minhas obras e, também, sobre as cidades que visito: busco imagens, fotografias e textos. Por isso, tenho procurado trazer em meus murais a importância dos livros para a cultura do País e para a formação e crescimento das pessoas”, diz o artista urbano, que tem murais em 35 países e já fez 13 obras com temas ligados à literatura e livros em geral.

Kobra em frente ao mural @drone.cyrillo

Antes de iniciar o mural, Kobra utilizou as redes sociais e pediu para que as pessoas sugerissem livros. “De acordo com a pesquisa ‘Retratos da Leitura no Brasil”, o País perdeu 4,6 milhões de leitores nos últimos quatro anos. Isso não é nada bom: já somos um povo que lê pouco e os números indicam que esse hábito está diminuindo. Atualmente, apenas 52% da população brasileira têm o costume de ler. Estou preparando um painel para destacar a importância dos livros, das obras da literatura brasileira. Quero sua ajuda para saber quais livros devo destacar. Comente aqui: qual seu livro brasileiro favorito? Qual obra mais marcou sua infância? Vamos fazer esse mural juntos?”, escreveu o artista no Instagram.

Kobra recebeu cerca 4.000 mil sugestões de títulos nacionais. Os 150 livros mais indicados serão colocados no mural.

Mural que Eduardo Kobra finaliza hoje, sexta-feira, dia 22 de janeiro, em Sorocaba @drone.cyrillo

O muralista brasileiro Eduardo Kobra, 45 anos, finaliza hoje, sexta-feira, 22 de janeiro, um grande mural, em uma empena do Colégio Ser! (à rua Doutor José Aleixo Irmão, 301, no Alto da Boa Vista, em Sorocaba). Com 22 metros de altura por 11 de largura, o mural, que pode ser visto também, inteiro, por quem está fora da escola, na rua mostra um menino subindo uma estante em uma biblioteca à procura de um livro. Para o mural, Kobra, que pintou acompanhado por dois artistas de sua equipe, Agnaldo Brito e Marcos Rafael, utilizou 350 latas de spray e 20 galões de esmalte.

É o 13º. trabalho do conhecido artista urbano Kobra com temáticas ligadas à literatura e livros em geral (veja a relação abaixo). “Não tive uma educação acadêmica, mas sou autodidata e os livros me ajudaram desde sempre. Pesquiso muitos as biografias dos ‘personagens’ que destaco em minhas obras e, também, sobre as cidades que visito: busco imagens, fotografias e textos. Por isso, tenho procurado trazer em meus murais a importância dos livros para a cultura do País e para a formação e crescimento das pessoas”, conta.

Antes de iniciar o mural, de nome ainda indefinido, que foi realizado em cerca de 20 dias, com muitas dificuldades devido às chuvas intensas durante o período, Kobra utilizou as redes sociais e pediu para que as pessoas sugerissem livros. “De acordo com a pesquisa ‘Retratos da Leitura no Brasil”, o País perdeu 4,6 milhões de leitores nos últimos quatro anos. Isso não é nada bom: já somos um povo que lê pouco e os                                                          números indicam que esse hábito está diminuindo. Atualmente, apenas 52% da população brasileira têm o costume de ler. Estou preparando um painel para destacar a importância dos livros, das obras da literatura brasileira. Quero sua ajuda para saber quais livros devo destacar. Comente aqui: qual seu livro brasileiro favorito? Qual obra mais marcou sua infância? Vamos fazer esse mural juntos?”, escreveu o artista instagram.  O muralista recebeu cerca 4.000 mil sugestões de títulos nacionais. Os 150 livros mais indicados serão colocados no mural.

Esse mural é o primeiro de Kobra em 2021. No final do ano passado, pintou na altura do km 44 da rodovia Presidente Castelo Branco o mural “A Linha da Vida”, com 600 metros quadrados. A obra traz oito personagens. Começa com uma criança e termina com uma senhora de cerca de 80 anos de idade.

Também em dezembro, Kobra fez em Coxim, na região norte do Mato Grosso do Sul um novo projeto, ainda sem nome definido, de resgate, manutenção e valorização das culturas regionais. Ele fez o mural do compositor Zacarias Mourão, de 6 metros por 19,60 metros, na praça “Zacarias Mourão”. O mural virou atração da cidade.  De acordo com o artista, o mural sobre Zacarias Mourão dá início a um antigo sonho de realizar um projeto de valorização das culturas regionais. “Dizia o escritor russo Leon Tolstói (Lev Tolstoi) que ‘universal é o homem que escreve sobre a própria aldeia’”. Por isso, ao mesmo tempo em que faço murais para destacar grandes nomes que contribuíram para a história do País, como o arquiteto Oscar Niemeyer e os compositores Chico Buarque e Adoniran Barbosa; e nomes que contribuíram para a paz, liberdade, arte e humanismo no mundo, como Nelson Mandela, Martin Luther King, Malala Yousafzai, Dalai Lama, Mahatma Gandhi, Madre Teresa de Calcutá e John Lennon, sempre quis criar um projeto que falasse sobre nomes que contribuíram para a cultura das próprias regiões”, conta o artista urbano, que complementa: “além disso, já pintei em cinco continentes mas não conheço a maioria dos estados do meu próprio país. Será uma grande realização conseguir pintar em cada estado do Brasil”, diz Kobra, que já fez obras em  São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Pará, Bahia, Distrito Federal, Minas Gerais, Maranhão, Pernambuco e Mato Grosso do Sul.

 

Veja a seguir os murais de Kobra que são relacionados com a literatura

 

O Menino no Biblioteca – obra em 3D, no Sarassota Chalk Festival, Estados Unidos, considerado o maior evento de pintura em 3D do mundo. No desenho, um menino lê dentro de uma biblioteca, cercado de livros. Realizado em 2011.

Mário Lago – o grafite foi realizado no muro da sede da Associação dos Amigos da Praça Benedito Calixto, em São Paulo. O ator, compositor, escritor, poeta, boêmio e ativista político Mário Lago morou na Praça Benedito Calixto, na capital paulista, no final da década de 1940. – Mural feito em 2013.

 

Chico e Ariano – mural de cores fortes e vibrantes, traz o compositor, cantor e escritor Chico Buarque de Holanda e o dramaturgo, romancista e poeta Ariano Suassuna (1927 – 2014), em um painel de 11 metros de altura por 17 de largura, no bairro de Pinheiros, em São Paulo, capital – Feito em 2014.

Alfred Nobel – embora Alfred Nobel tenha sido químico, sempre lembraremos dele ao sabermos anualmente sobre quem o vencedor do Prêmio Nobel de Literatura. Com 16 metros de altura por 10 de comprimento, o mural está na cidade de Boras, na Suécia, conhecida por como a “Cidade Campeã Mundial em Limpeza Urbana”, por reaproveitar 99% dos seus resíduos. No mural também é destacada a medalha do Prêmio Nobel, já que a premiação incentiva diversas áreas da arte e do conhecimento. Realizado em 2014.

Paz (Malala Yousafzai) – em Roma, Itália, Kobra homenageou a jovem paquistanesa Malala Yousafzai, conhecida por sua luta em prol dos direitos das mulheres, especialmente em regiões comandadas por grupos como o Talibã, que impede jovens garotas de irem à escola. A ativista escreveu, em parceria com Christina Lamb, o livro “Eu Sou Malala”, que traz a impressionante trajetória de sua luta, que prosseguiu mesmo ter sido atacada e gravemente ferida pelo Talibã.

Hamlet – “Ser ou não ser?”. Na fachada do teatro Palm Beach Dramaworks, na cidade de Palm Beach, Flórida, Kobra registrou sua versão da cena mais famosa de Hamlet, tragédia de Shakespeare. Enquanto o braço de Hamlet aparece em preto e branco, o crânio de Yorick, o bobo da corte, ganha vida com uma miríade de cores, de tal forma que parece olhar para a fachada do teatro como se estivesse se preparando para assistir à próxima peça. Mural de 2015.

O Condicionado – uma história de superação – em um mural de 15 metros de comprimento por três metros de altura, Kobra homenageou o icônico morador da cidade de São Paulo, Raimundo Arruda Sobrinho, que viveu durante 33 anos como um sem-teto,  nas ruas de São Paulo, sempre na rua Pedroso de Morais, e sempre escrevendo poemas e outros textos. No mural, Kobra destaca um dos versos escritos por Raimundo Arruda Sobrinho: “Desgraçado é o Homem que se Abandona.” A intervenção foi a última da série de dez trabalhos do projeto “São Paulo: uma Realidade Adiantada. Mural de 2015

The Times They Are a-Changin (Bob Dylan) – em Minneapolis, Minnesota, EUA, a obra tem 50 metros de largura por 28 metros de altura, em um prédio no centro da cidade. O mural mostra três diferentes fases da trajetória de Bob Dylan, inspirados pelo título de uma de suas mais importantes canções, ‘The Times They Are a-Changin’. Bob Dylan já morou em Minneapolis, maior cidade de Minnesota, e foi criado em outra cidade do mesmo estado dos EUA, Hibbing.O trabalho foi realizado em 2015. (Embora Dylan seja pouco conhecido como escritor, foi agraciado em 2016 com o Prêmio Nobel de Literatura, devido ao valor literário de suas composições.)

 

Dante Alighieri – em um pequeno prédio na região central de Ravenna (cidade em que o escritor faleceu), na Itália,  Kobra pintou um mural de quatro metros quadrados sobre Dante Alighieri. O artista urbano brasileiro utilizou como inspiração a imagem de uma gravura de 35X50 cm que foi produzida para uma exposição sobre o escritor italiano na Casa Oriani. Realizado em 2016

 

“Let me be myself” (Anne Frank) – um dos murais mais famosos do artista no mundo. Anne Frank, jovem alemã e judia que morreu em um campo de concentração aos 15 anos, e deixou para o mundo seu impressionante diário, foi mais uma vez eternizada no imenso mural de 240 m² e na região norte de Amsterdã. “Sempre quis fazer um mural sobre Anne Frank. A sua triste história leva a uma profunda reflexão, já que a intolerância ainda persiste no mundo. Ao mesmo tempo, Anne inspira muitos jovens do mundo inteiro pela sua coragem e sabedoria. Apesar de tudo, ela nunca perdeu sua fé na humanidade e se manteve viva através da arte para transmitir sua história e legado”, explicou na época o artista. Mural feito em 2016.                         

 

Tesouros de São Luís – O mural, com 33 metros de comprimento por 10,3 metros de altura, foi um dos mais difíceis da longa trajetória do artista. Antes de ir a São Luís, no Maranhão, Kobra mergulhou durante semanas na rica cultura do estado, fez dez projetos e ficou entre duas opções. Mas ao chegar à cidade e visitar seus museus e o Centro Histórico, resolveu mudar tudo que tinha planejado e transformou o muro em uma prateleira de livros, onde destacou Ferreira Gullar, Graça Aranha, Nauro Machado, Aluísio Azevedo, Bandeira Tribuzi, Josué Montello e Gonçalves Dias, além de um brincante de boi – como reverência à cultura e folclore tão marcante nos cantadores de toadas – e os azulejos presentes na arquitetura do Centro Histórico de São Luís. Obra realizada em 2017.

 

Mario Quintana – primeiro e até agora único mural de Eduardo Kobra em Porto Alegre. A obra, que destaca o poeta gaúcho Mário Quintana, ocupa a fachada de um dos prédios do Colégio Farroupilha, no bairro Três Figueiras, em Porto Alegre. Junto ao rosto do escritor, a pintura de um pássaro faz referência ao clássico “Poeminho do Contra” (“Eles Passarão Eu Passarinho…”).  O mural foi realizado em uma área de 14 x 14 metros, em 2019.

 

Olhares da Educação, na fachada da Universidade do Vale do Taquari (Univates), em Lajeado, Rio Grande de Sul, mostra nomes importantes da literatura e educação do País: Clarice Lispector, Paulo Freire e Darcy Ribeiro, com 14 metros de altura por 26 de comprimento. Feito em 2020.

 

A Arte de Conservar

Também em dezembro de 2020, Kobra entregou em São Paulo a revitalização de seu mural “A Lenda do Brasil”, de 41 metros por 17,5 metros, feito em homenagem ao piloto Ayrton Senna, na empena de um prédio na rua da Consolação, 2608 (esquina com a av. Paulista, em frente à Praça José Molina), em São Paulo. O trabalho foi iniciado há 15 dias e inaugurou o projeto “A Arte de Conservar”.  De acordo com o artista, as próximas obras a serem restauradas são “Oscar Niemeyer”, na região da av. Paulista, também em São Paulo, e “Etnias – Todos Somos Um”, no Boulevard Olímpico, no Porto Maravilha, no Rio de Janeiro.

O mural “A Lenda do Brasil”, que mostra o piloto de capacete e olhar expressivo, é uma das principais obras de Kobra, que tem Senna como uma de suas grandes referências. “Embora eu não seja ligado aos esportes, Senna sempre foi um dos meus maiores ídolos e uma inspiração para mim, com seu exemplo de determinação e superação. Além disso, transformou o ato de dirigir carros de corrida em, além de um esporte, uma verdadeira arte, que encantava e inspirava a todos”, afirma Kobra, que já pintou 12 murais, além de uma tela, sobre o tricampeão mundial de F-1 (nascido em 21 de março de 1960, em São Paulo).  Em setembro de 2019, Kobra realizou um mural. no autódromo de Ímola, Itália, onde o piloto morreu ao bater sua Williams nos muros da curva Tamburello, no GP de San Marino no dia 1º.  de maio de 1994. Em março deste ano, inaugurou o mural “Superação” no autódromo de Interlagos, em São Paulo.

“Este é um dos primeiros movimentos de restauração, revitalização e preservação de murais, que já são verdadeiros patrimônios das cidades e, acredito, merecem receber os mesmos cuidados que os prédios, os monumentos públicos e qualquer obra de arte”, afirma o artista, que acrescenta: “a velha ideia de que a arte de rua é descartável e efêmera deve ser mudada.”

O artista urbano revela que com as novas técnicas, os murais podem resistir bem mais à passagem do tempo. “A durabilidade de um mural depende de fatores como as condições climáticas – calor, frio, chuva -, a poluição e se foi realizado em uma parede nova ou mais antiga. Agora podem ser tomados cuidados essenciais para que os murais durem mais, como um melhor preparo da parede, o uso de seladora e de tintas acrílicas como base e a aplicação de verniz ao final do trabalho”, afirma.

Para a fase inicial do projeto, Kobra procurou pela Audi do Brasil, empresa que tem uma ligação histórica com o tricampeão mundial. Foi Senna que trouxe a marca alemã para o mercado brasileiro, em 1993. A empresa abraçou a ideia, assim como em 2015, ano em que iniciava a operação de sua fábrica no País. “

“A Mão de Deus”

O artista urbano entregou no dia 15 de novembro do ano passado seu primeiro mural, “A Mão de Deus”, na região do Minhocão, em São Paulo. O trabalho tem 33 metros de altura por sete metros de largura, na empena de um prédio situado à rua Traipu, nº. 50.  De acordo com o artista, é a mais autobiográfica de todas as suas obras. “O mural é inspirado em um momento muito difícil para mim, que começou a ser superado quando senti a mão de Deus. Foi algo que me ajudou e que me ampara até hoje”, diz.

Kobra afirma que o mural, é particular, mas também universal. “Serve para todas as pessoas, de qualquer fé, que passam por dificuldades como depressão, solidão, dificuldades econômicas, bebidas e drogas”. E complementa: “espero que nesses tempos de pandemia e mesmo depois que tudo isso terminar, o mural também inspire as pessoas a resgatarem a bondade e serem mais acolhedoras e solidárias uma com as outras”.

 

Sobre Eduardo Kobra

Recentemente, Eduardo Kobra, 45 anos, entregou em Santos, no litoral de São Paulo, o mural “Coração Santista”, de 800 metros quadrados. A obra foi inaugurada no dia 23 de outubro, data do aniversário de 80 anos de Edson Arantes do Nascimento, Pelé. No mural, há quatro cenas, todas situadas dentro dos arcos (ou círculos) das muretas de Santos, um dos mais conhecidos símbolos da cidade: Pelé (o grande homenageado do mural), o Bonde, a Bolsa do Café e Um Estivador no Porto de Santos.

Pouco antes, o muralista lançou um painel sobre o Líbano, país marcado pela recente tragédia ocorrida em Beirute. A tela foi leiloada e foram feitas serigrafias para serem sorteadas entre pessoas que fizessem doações para o Líbano (o valor total a arrecadação será divulgado ainda em novembro). Também durante a pandemia, Kobra fez o painel “Coexistência”, onde mostrava crianças de cinco religiões – budismo, cristianismo, islamismo judaísmo e hinduísmo – em oração e vestindo máscaras. Uma Serigrafia da obra foi sorteada entre as pessoas que fizeram doações. Com o valor arrecadado foram produzidos e distribuídos 16.620 kits.

Em setembro, o artista urbano finalizou um mural dentro da Escola Estadual Professor Raul Brasil, em Suzano, na Grande São Paulo. O mural faz parte de um projeto idealizado por ele para a revitalização da escola, onde ocorreu um massacre em março de 2019, quando dois ex-estudantes armados invadiram o espaço. Além do mural pintado por Kobra dentro do pátio da escola, alunos participaram de um concurso através da Secretaria de Estado da Educação, com o tema “Paz nas Escolas” e enviaram desenhos. As obras escolhidas foram pintadas no muro em frente à fachada da escola. Para as pinturas nas outras três laterais do muro, foram convidados diversos artistas urbanos.

Kobra é um expoente da neo-vanguarda paulistana. Começou como pichador, tornou-se grafiteiro e hoje se define como muralista. Seu talento brota por volta de 1987, no bairro do Campo Limpo com o pixo e o graffiti, caros ao movimento Hip Hop, e se espalha pela cidade e pelo mundo. Com os desdobramentos que a arte urbana ganhou em São Paulo, ele derivou – com o Studio Kobra, criado em 95 – para um muralismo original – inspirado em muitos artistas, especialmente os pintores mexicanos e norte-americanos, beneficiando-se das características de artista experimentador, bom desenhista e hábil pintor realista. Suas criações são ricas em detalhes, que mesclam realidade e um certo “transformismo” grafiteiro.

Muitos críticos afirmam que a característica mais marcante de Kobra é o domínio do desenho e das cores. Mas o que é fundamental para o artista é o olhar. Kobra foi desde cedo apresentado às adversidades da vida. Viu amigos sucumbirem às drogas e à criminalidade. Alguns foram presos. Outros perderam a vida. Foi o olhar que o salvou.

Kobra é autor de projetos como “Muro das Memórias”, em que busca transformar a paisagem urbana através da arte e resgatar a memória da cidade; Greenpincel, onde mostra (ou denuncia) imagens fortes de matança de animais e destruição da natureza; e “Olhares da Paz”, onde pinta figuras icônicas que se destacaram na temática da paz e na produção artística, como Nelson Mandela, Anne Frank, Madre Teresa de Calcutá, Dalai Lama, Mahatma Gandhi, Martin Luther King, John Lennon, Malala Yousafzai, Maya Plisetskaya, Salvador Dali e Frida Kahlo.

Em meio ao caos urbano, buscou resgatar o patrimônio histórico que se perdeu. Em um contexto repleto de desigualdade social e injustiças, buscou se inspirar em personagens e cenas que servem de exemplo para um mundo melhor.

Hoje, os murais de Kobra estão em cerca de 35 países e em diversas cidades e estados brasileiros – como “Etnias – Todos Somos Um”, no Rio de Janeiro, “Oscar Niemeyer”, em São Paulo; “The Times They Are A-Changin” (sobre Bob Dylan), em Minneapolis; “Let me be Myself” (sobre Anne Frank), em Amsterdã; “A Bailarina” (Maya Plisetskaia), em Moscou; “Fight For Street Art” Basquiat e Andy Warhol), em Nova York; e “David”, nas montanhas de Carrara. Em todos os trabalhos, o artista paulistano busca democratizar a arte e transformar as ruas, avenidas, estradas e até montanhas em galerias a céu aberto.  Inquieto, estudioso e autodidata, também faz pesquisas com materiais reciclados e novas tecnologias, como a pintura em 3D sobre pavimentos. Em 2018, pintou 20 murais nos Estados Unidos, 18 deles em Nova York.

Cada vez mais conhecido, Kobra fica, é claro, orgulhoso quando vê uma multidão que observa um de seus murais, mas costuma dizer que o que o comove de verdade é descobrir alguém que para no meio da correria da cidade para observar, mesmo que por um minuto, os detalhes dessa obra. Apesar dos murais monumentais, Eduardo Kobra faz sua arte para despertar a consciência e a sensibilidade de cada um de nós.

 

Sobre o Colégio Ser!

Há 41 anos, estabelecido na cidade de Sorocaba, interior de São Paulo, o Colégio Ser! atende alunos do Berçário ao Pré-vestibular. É um colégio que se guia para a formação do ser humano na arte, tecnologia, ciência e nos esportes, através do livre pensar, da compaixão e solidariedade.  Atualmente atende aproximadamente 1.500 alunos em sua unidade no bairro do Campolim, em Sorocaba. A partir de fevereiro deste ano, o Colégio inaugura a segunda unidade, no bairro do Alto da Boa Vista, onde atenderá 500 alunos.

Veja algumas das obras de Kobra no Brasil e no Exterior

Exterior:

1 – O Beijo, na High Line, em Nova York, EUA

2 – Arthur Rubinstein, em Lodz, na Polônia

3 – Artistas, em Wynwood, Miami, Flórida, EUA

4 – A Bailarina (Maya Plisetskaya), em Moscou, Rússia

5 – Malala, em Roma, Itália

6 – Olhar a Paz, em Los Angeles, Califórnia, EUA

7 – Sarasota Antiga, em Sarasota, Flórida, EUA

8 – Abraham Lincoln, em Lexington, Kentucky, EUA

9 – Fight for Street Art (releitura da cena clássica de Andy Warhol e Jean Michael Basquiat), em Williamsburg, Brooklyn, EUA

10 – Alfred Nobel, na cidade de Boras, Suécia

11 – MariArte, em San Miguel de Allende, México

12 – Ritmos do Brasil, em Tóquio, Japão

13 – O Beduíno, em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos

14 – Mural ainda sem nome, Papeete, Taiti

15 – Bob Dylan,The Times They Are a-Changin. Minneapolis, Minnesota, EUA

16– Hamlet,West Palm Beach, Florida, EUA

17 –Einstein vai à Praia,West Palm Beach, Flórida, EUA

18 –Give Peace a Chance,Wynwood, Miami, Flórida, EUA

19 – Stop Wars,Wynwood, Miami, Flórida, EUA

20 –The Fallen Angel (O Anjo Caído), Wynwood, Miami, Flórida, EUA

21 – Muddy Waters, Chicago, Illinois, EUA.

22 – Rio, Tóquio, Japão

23 – Armstrong(nome não definitivo), Cincinnati, Ohio, EUA

24 – Dante Alighieri, Ravenna, Itália

25 – Let me be myself, Amsterdã, Holanda

26 – Ziggy Stardust (sobre David Bowie), Jersey City, New Jersey, EUA.

27 – Sonho de um Menino, Dubai, Emirados Árabes Unidos.

28 – Mandela (ainda sem nome definitivo), em Blantyre, Malawi

29 – Desmond Tutu (ainda sem nome definitivo), em Blantyre, Malawi

30 – Dalí, em Múrcia, Espanha

31 – Davi, em Carrara, Itália32 – Cacique Raoni (ainda em nome definitivo), em Lisboa, Portugal.

33 – Etnias – Todos Somos Um (talvez ainda receba um novo nome), em Sandefjord, Noruega.

34 – Locomotiva, em Londres, Reino Unido

35 – Família Monet (dois murais que conversam entre si), em Boulogne-sur-Mer (Bolonha-sobre-o-Mar), na França.

36 – Imagine, em Bristol, Inglaterra.37 – Em 2018 o artista fez 20 murais nos EUA,

18 deles em Nova York.

38 – Ayrton Senna, Ímola, Itália.

Brasil

1 – Oscar Niemeyer, Praça Oswaldo Cruz, av. Paulista, em São Paulo, São Paulo

2 – A Arte do Gol (projeto Muro das Memórias), av. Hélio Pellegrino com av. Santo Amaro, em São Paulo, São Paulo

3 – Belém Antigo, esquina da rua Castilhos França com a rua Portugal, em Belém, Pará

4 – Candango, no Complexo Bancário, em Brasília.

5 – Chico e Ariano, na avenida Pedroso de Morais, Pinheiros, em São Paulo, São Paulo.

6 – Novos Ventos, nos tanques da Linde Gases, na rodovia Cônego Domênico Rangoni, no trecho do sistema Anchieta-Imigrantes, que liga Cubatão a Guarujá, São Paulo.

– Mural da 23 de Maio (projeto Muro das Memórias), av. 23 de Maio (próximo ao viaduto Tutóia), em São Paulo, São Paulo.

8 – Murais do Parque do Ibirapuera, ao lado do MAM, Parque do Ibirapuera, São Paulo, SP.

9 – Pensador, Senac Tatuapé, em São Paulo, São Paulo.

10 – Muro das Memórias Caixa d’água, Senac Santo Amaro, em São Paulo, São Paulo.

11 – AltaMira (projeto Greenpincel), rua Maria Antônia, São Paulo, São Paulo.

12– Muro das Memórias, Senac Tiradentes, em São Paulo, São Paulo.

13 – Gonzagão, Recife, Pernambuco.

14 – Viver, Reviver e Ousar, Igreja do Calvário, em Pinheiros, São Paulo, São Paulo.

15 – Brasil!,muro da usina termelétrica de Macaé, Rio de Janeiro.

16 – Sem Rodeio (Projeto Greenpincel), av. Faria Lima, em São Paulo, São Paulo.

17 – Muro das Memórias Senac Tiradentes, av. Tiradentes, em São Paulo, São Paulo.

18 – Racionais MC’s, Capão Redondo, São Paulo, São Paulo

19 – Genial é Andar de Bike, Oscar Freire, São Paulo, São Paulo

20 – A Lenda do Brasil, rua da Consolação, São Paulo

21 – Etnias – Todos Somos Um, Boulevard Olímpico, Porto Maravilha, Rio de Janeiro, RJ

22 – Sobre Bike e mobilidade (nome ainda indefinido), rua Tavares Cabral, São Paulo, SP.

23 – Mural do Chocolate, km 35 da rod..Castelo Branco, em Itapevi, São Paulo;24 – Escadão das Bailarinas, em Pinheiro, São Paulo, São Paulo

25 – Mario Quintana, Porto Alegre, Rio Grande do Sul

26 – Ayrton Senna – Superação, em Interlagos, São Paulo.

27 – Escola Professor Raul Brasil (ainda sem nome definitivo), em Suzano, São Paulo.

28 – Coração Santista, em Santos, São Paulo.

Jornalista responsável: Airton Gontow (MTB: 18.574) – Gontof Comunicação

Edição: Leanderson Amorim – Nordestinos Paulistanos