Açúcar na infância: o que dizem os especialistas?

A Tal da Castanha desenvolveu uma bebida infantil com até 60% menos açúcar do que as disponíveis no mercado

Foto – Divulgação

O açúcar em excesso é algo a ser evitado em todas as fases da vida. Na infância é ainda mais importante redobrar a atenção já que o abuso dos cristaizinhos estão presentes em balas, biscoitos, bolos e pães, além das bebidas prontas utilizadas para complementar o cardápio das crianças. “Esse é o tipo que mais preocupa, pois o excesso de açúcar pode contribuir para desenvolvimento de distúrbios nutricionais na infância e na idade adulta, como anemia, desnutrição, hipertensão arterial, doenças cardiovasculares, obesidade, diabetes tipo 2 e osteoporose”, alerta a nutricionista Alessandra Luglio.

A cartilha “Dez passos para a alimentação saudável – Guia alimentar para crianças menores de dois anos do Ministério da Saúde, recomenda não consumir açúcar refinado e alimentos quando preparados com o ingrediente. É nesta faixa etária que os hábitos alimentares serão formados seguindo para a vida adulta. “O paladar infantil, em fase de construção, tem uma forte preferência pelo sabor doce. Isso ocorre porque o gosto é inato ao ser humano, ou seja, não há necessidade de incentivos e processo de aprendizagem como os demais. Uma criança que é constantemente estimulada por alimentos atraentes dificilmente vai aceitar experimentar outros e vão dar trabalho na hora de comer”, explica a nutricionista.

Foto – Divulgação

A indústria utiliza diversos tipos de açúcar, especialmente o refinado. Só não ache que a saída é banir as guloseimas de vez. O caminho é consumir de forma consciente. A primeira lição é substituir o açúcar refinado por um mais nutritivo que não comprometa o pedalar em formação, como é o caso do melado, açúcar mascavo e demerara.

Outra recomendação importante para não errar é ficar de olho na lista de ingredientes das bebidas prontas. Muitas delas apresentam alta concentração de açúcar. Quanto mais natural e com ingredientes reduzidos, melhor.

Menos açúcar e mais nutrientes

A bebida Mini lançada recentemente pela A Tal da Castanha é uma sugestão. O produto que não usa nada de origem animal é composto por ingredientes naturais e orgânicos, sendo 100 % vegetal, sem soja ou Organismos Geneticamente Modificados (OGM). Em uma embalagem de 200ml são ofertados até 152 mg de cálcio que irão complementar a alimentação auxiliando, de forma prática e prazerosa, a garantir o alcance das metas diárias deste nutriente.

Além da presença do mineral, o produto apresenta até 60% menos açúcares quando comparado aos principais lanches do mercado. O açúcar utilizado é demerara orgânico, ao invés do refinado para que os pequenos não tenham o paladar comprometido durante a infância.

A linha de produtos está disponível no e-commerce da marca em https://loja.ataldacastanha.com.br por R$ 4,99 nos sabores de ChocolateMorangoBaunilha Maçã & Banana. 

Sobre A Tal da Castanha: 

A Tal da Castanha é uma marca genuinamente brasileira que utiliza em sua composição apenas ingredientes de origem natural e vegetal. A marca combina excelência e inovação para trazer ao mercado brasileiro uma linha inédita de produtos que inclui bebidas vegetais, pastas e snacks. A filosofia da marca é pautada em pureza e simplicidade, quanto menos ingredientes, melhor. Líder no segmento, os produtos A Tal da Castanha são distribuídos nos melhores mercados do país. A Tal da Castanha é uma referência entre as marcas clean label do Brasil e faz parte da seleta lista de empresas B, um grupo global de organizações comprometidas com a geração de impacto positivo na sociedade e no meio ambiente.